Caracterização laboratorial das dislipidemias e o uso de fitoterápicos

  • Hanna Veloso Santos
  • Junio Marcos Pereira
  • Ronilson Ferreira Freitas
  • Vanessa de Andrade Royo

Resumo

As plantas medicinais e os medicamentos fitoterápicos são amplamente utilizados no Brasil como alternativa terapêutica, principalmente por aqueles que estão em tratamento de doenças crônicas com outros medicamentos. Para demonstrar esse efeito, o presente estudo quer avaliar a eficácia de compostos fitoterápicos em portadores de dislipidemias, através de uma revisão de literatura. Os dados obtidos foram analisados e classificados em tipos de fitoterápicos utilizados; suas principais características; estudos que comprovem sua eficácia ou não; informações a respeito de efeitos colaterais; toxicidade e comercialização atual no uso das dislipidemias. Através dos artigos pesquisados, alguns autores asseguram a veracidade de que a farinha da casca de maracujá, extrato de berinjela e a farinha de abacate podem reduzir os níveis de Colesterol total, HDL e LDL, desde que associados as drogas farmacêuticas pré-existentes, embora outros autores concluam que o efeito causado pela ingestão do fitoterápicos não surtam resultados significativos.
Como Citar
SANTOS, Hanna Veloso et al. Caracterização laboratorial das dislipidemias e o uso de fitoterápicos. Revista Multitexto, [S.l.], v. 3, n. 1, p. 21-28, jun. 2015. ISSN 2316-4484. Disponível em: <http://www.ead.unimontes.br/multitexto/index.php/rmcead/article/view/104>. Acesso em: 20 jul. 2019.
Seção
Artigos de Revisão

Palavras-chave

Dislipidemia; Fitoterápicos; Medicina natural