Teor alcoólico e acidez volátil em amostras de cachaça artesanal comercializadas no Vale do Jequitinhonha-MG

  • Eurislene Moreira Antunes Damasceno
  • Fabiângela Silva Jardim
  • Tahiana Ferreira Freitas
  • Ronilson Ferreira Freitas
  • Lara Bruna Brito Castro
  • Alexandre Santos de Souza

Resumo

O processo de produção de cachaça pode ser resumido nos seguintes estágios: preparação da matéria-prima, transporte, armazenamento, moagem, fermentação e destilação em alambique de cobre. Ela pode, ainda, ser envelhecida em recipientes de madeira, engarrafada e comercia-lizada. O objetivo deste trabalho foi analisar o teor alcoólico e a acidez volátil de amostras de cachaça artesanal, mediante padrão estipulado pela legislação brasileira, através da Portaria 371/94, que dispõe sobre Identidade e Qualidade para aguardente de cana, caninha ou cachaça. Em junho de 2012, foram coletadas seis amostras de cachaça artesanal, provenientes do Vale do Jequitinhonha, mais especificamente da cidade de Coronel Murta – MG e foram feitas análises para identificar o teor alcoólico e a acidez volátil das amostras, seguindo as técnicas do Ministério da Agricultura. Nas análises quanto ao teor alcoólico, 4 das amostras analisadas apresentaram valores inferiores aos estipulados pela portaria e nas análises de acidez volátil todas as amostras apresentam valores em conformidade com a Legislação.
Como Citar
DAMASCENO, Eurislene Moreira Antunes et al. Teor alcoólico e acidez volátil em amostras de cachaça artesanal comercializadas no Vale do Jequitinhonha-MG. Revista Multitexto, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 56-60, fev. 2014. ISSN 2316-4484. Disponível em: <http://www.ead.unimontes.br/multitexto/index.php/rmcead/article/view/124>. Acesso em: 17 nov. 2019.
Seção
Artigos Originais

Palavras-chave

Cachaça artesanal; Teor alcoólico; Acidez volátil; Qualidade da cachaça